Ensino Médio

Noticias

MEU FILHO ESTÁ NO ENSINO MÉDIO...E AGORA?

MEU FILHO ESTÁ NO ENSINO MÉDIO E AGORA?

É na adolescência que o filho se lança ao mundo, e aos pais cabe torcer por ele e socorrê-lo quando preciso. Também é responsabilidade educativa dos pais interferir quando algo não vai bem, mas agora adotando um novo posicionamento educativo.

Por mais que queiram e possam, os pais de adolescentes precisam evitar de tomar decisões pelos filhos porque é preciso prepará-los internamente para que eles possam se proteger sozinhos e enfrentar as consequências nas escolhas.

A interferência é necessária nos quartos bagunçados. Limpar o quarto pode até ser uma função de empregadas ou arrumadeiras, mas, se o território é do adolescente, é ele quem tem que cuidar do que lhe pertence.

Quem usa mal o seu território não está pronto para tê-lo, portanto, tem que devolvê-lo aos pais. Estes poderiam lhe restituir esse território aos poucos, conforme o aprendizado e as conquistas do jovem.

É preciso deixar claro todos os pontos de vista sobre um filho(a) que traz sua(seu) namorada(o) para dormir em casa. Os pais devem manter a sua posição clara e firme sem temer que isso possa prejudicar os filhos.

O que realmente prejudica é o fato dos filhos terem a sensação de que podem fazer tudo o que quiserem sem levar em consideração o que os pais pensam e sentem.

 

 

Para preparar o filho para que não use drogas, o que vale é a combinação dos comportamentos do pai e da mãe, formando atitudes baseadas no princípio educativo da coerência, constância e consequência.

A família sempre foi, é e continuará sendo o principal núcleo afetivo de qualquer ser humano. Na família nasce o SER. Na adolescência, ele busca sua identidade social.  Com autonomia comportamental e independência financeira, o adulto jovem busca alguém para ter sua parceria.

Seu maior sonho é realizar a felicidade. Pelos filhos, a felicidade se perpetua. Ser eterno é o seu segundo maior sonho. A civilização se alimenta da educação e história dos filhos.

Histórias que escrevem páginas no livro da humanidade.

 

... E os filhos trazem na sua própria existência a felicidade e a eternidade dos seus pais.

 

 

Há pais com tempo ocioso, mas "sem tempo para os filhos", e pais "sem tempo para nada" conseguem tempo para o amor. Cada um faz o seu tempo.

Pais e filhos adolescentes precisam encontrar meios de comunicação mais eficientes, atuais e prazerosos.

Como os adolescentes se comunicam entre si quando não se encontram pessoalmente? Sim, pelas tecnologias! Se a presença física está difícil, além dos bilhetes e telefonemas, é bom aproveitar a tecnologia dominada pelos jovens para mandar torpedos, usar e-mails, Whatsapp, etc. 

Estudo não se negocia, ele é importante não só para a capacitação e formação pessoal, mas também para o benefício e qualidade de vida da família e da sociedade.

Mais importante do que tirar notas altas é aprender. E mais importante do que ter informações dentro de si é aprender a encontrá-las. É preciso ter consciência da necessidade de aprender. O aprendizado não faz mal a ninguém e filhos levam para a escola o que aprenderam em casa.

Estar pobre ou rico não cabe somente à sorte. Em geral pobre é a pessoa que não conseguiu ganhar dinheiro ou administrar bem o que recebeu. Muitos profissionais ganharam bem, mas não se tornaram ricos por falhas na administração financeira.

Antes de gastar qualquer quantia, vale a pena fazer 3 perguntas:  Eu preciso realmente disso? Para que? Preciso comprar agora?

Para educação financeira, toda compra que não se usa, não se curte nem sequer se negocia é um desperdício. O desperdício é sempre muito caro, pois é dinheiro jogado fora.

O filho está aprendendo o jogo da vida por meio do trabalho. Todo jogo tem suas regras, e ele tem que aprender as regras de sobrevivência. A primeira delas é a relação custo benefício.

O comprometimento com a família pode ser construído no dia a dia, à medida que a família exige que o adolescente cumpra suas obrigações, até atingir o amadurecimento. Entre os funcionários igualmente capacitados, vence o que estiver realmente comprometido com o projeto, por isso a importância do adolescente aprender em casa.

Mau trabalhador é a pessoa que trabalha o suficiente para não ser despedida e reclama que ganha pouco. Muitos filhos, trabalhando como maus empregados, estudam apenas o suficiente para passar de ano, fazendo o mínimo em casa e recebendo tudo de "mão beijada". Acabam sendo mal preparados para o trabalho, cujas exigências andam a passos gigantes.

Se o trabalho for progressivo e em nada prejudicar os estudos, pode até ajudar o estudante a se organizar melhor. O trabalho em si não prejudica o homem em nada.

A adolescência é a etapa humana que corresponde à das flores antes de se transformarem frutos. Os adolescentes existem, atraentes, exuberantes, perfumados, coloridos, agitados, exibidos, gregários, querendo ver e ser vistos.

Das flores é que se formam os frutos e os adultos, que já foram adolescentes, querem que esses adolescentes funcionem como se fossem frutos. E os adolescentes querem que os adultos tenham os mesmos pontos de vista deles.

Conflitos entre adultos e adolescentes são naturais e acontecem. O que deve ser evitado é que os conflitos evoluam para confrontos.

Os adultos precisam funcionar como raízes que alimentam os alados, e não como âncora que os prende num local.

O adolescente é pequeno demais para grandes coisas, grande demais para pequenas coisas.


Inicial | Voltar